quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Cronica Familiar: O dia que roubaram a roupa do papai noel



Reza a lenda que em uma família pra lá de tradicional da Vila Marte, em todo o Natal, sempre chamava o mesmo Papai Noel anualmente desde 1970 e poucos. Deste quase meio século da visita do "Papai Noel Zé", NUNCA houve um atraso do bendito e muito menos passaram um Natal com improvisos.

Em uma tarde de verão pertíssimo do Natal, os primos Gustavo e Eric (eu mesmo!) haviam combinado de dormir na casa dos avós. Eric já moço criado e Gustavo de apenas 7 anos estavam pra lá de Marraquesh sem fazer absolutamente nada.

Gustavo teve a brilhante idéia de brincar de Papai Noel, onde pegou as roupas que Papai Noel Zé usaria durante as festividades natalinas. Tudo estava bem quando o avô dos meninos viu Gustavo usando as roupas de Zé, e mandou o mesmo guardar. O menino só de pirraça, escondeu bem escondido as roupas do "bom velinho".

No dia 24 de dezembro, dia em que todos os Decussatti decidem se reunir, mesmo enfrentando grandes epopéias, a roupa de Zé definitivamente decide sumir. Eric já sabia o que havia acontecido, mas como o rapaz tem um espiríto de Grinch latente, prefiriu não comentar.

O desespero nos avós dos meninos foi tão grande que ligaram pra Zé arrumar uma outra roupa. E Pasmen! ele arrumou.....

...Para Eric, o natal mais uma vez iria chegar e teríamos o mesmo papai noel de sempre. Sim, 18 anos com o mesmo bom velinho.

Tudo bem, foi-se mais um Natal, regado de champagne, martini e da boa e velha loira gelada. Ao final d afesta, todos vão embora e o rapaz acaba indo para a casa dos avós para passar uma temporada.

Durante a madrugada, o rapaz decide entrar na internet e desejar a seus "cupinchas", damas de companhia, irmãos, amigos, ex namoradas e ex-ex, filiz natal. Mas antes disso, passa na casa dos amigos Gabie Evandro e faz o maior encandaloi desejando ao casal boas festas.

Os amigos de uma cidade vizinha estavam chateados porque queriam dar o fora de casa. Eric como tem um pé para festa, decide aceitar o convite de Carolina - que não é dos livros, mas é uma grande poeta com as palavras - e o incentivo de Mauro, fiel escudeiro e parceiro para todas as horas, de sair.

Eric foi-se pela madrugada e volta apenas de manhã. O Natal foi completamente diferente. O mesmo esqueceu até de que Zé havia passado mais uma vez pela cada de sua familia.

Sim, senhoras e senhores, história verídica. saushuahsuahsua.




Boas festas a todos!


*OBS: Durante o ano novo, não atualizarei nada, pois estarei na praia, deitado na grama enchendo a cara......brincadeira!!!

Um comentário:

Neluparf disse...

me senti o sancho pança agora...
hsauhsuahsuah
^^
o unico papai noel que eu vi não era zé, era o do shopping e que ficava olhando as senhoras que passavam por lá...